SAPOmobile

 

SAPO > Notícias > Desporto > Artigo

Artigo

Benfica 0-2 Bayern: O bom filho à casa... marca
Desporto, há 391 dias


O Benfica estreia-se na fase de grupos da Liga dos Campeões com uma derrota por 2-0 diante do Bayern Munique. Lewandowski e Renato Sanches (protagonista do momento da noite juntamente com os adeptos dos 'encarnados') confirmaram a superioridade alemã.Rui Vitória tinha assegurado que não ia mudar a matriz da sua equipa em função do adversário desta noite e cumpriu: depois do encontro com o Rio Ave para a Taça da Liga, o técnico voltou a apostar num onze sem surpresas, com Seferovic na frente.Niko Kovac, por sua vez, optou por rodar algumas peças: destaque para a titularidade de Renato Sanches no meio-campo; Ribéry e Robben, que estavam em dúvida, jogavam também de início, ao contrário de Müller, habitual titular na formação bávara, que começou no banco.Como seria de prever, o Bayern entrou com mais bola, face a um Benfica que tentava pressionar, mas sem ameaçar a baliza de Neuer. Robben deu o primeiro aviso (5'), Lewandowski confirmou a superioridade dos bávaros pouco tempo depois: Ribéry tocou para Alaba pela esquerda, cruzamento rasteiro para o coração da área, com o avançado polaco a tirar um adversário da frente e a atirar rasteiro para o primeiro da noite. Uma curiosidade: com este golo, Lewandowski igualou Eusébio em número de golos (53) nas competições europeias.O Bayern continuou a pressionar alto a formação de Rui Vitória e o 2-0 só não aconteceu ao minuto 14 graças à intervenção de Vlachodimos: Robben apareceu isolado na cara do guarda-redes alemão, mas este saiu bem a fazer a mancha. O guardião dos ‘encarnados' voltou a mostrar serviço aos 16', desta feita a travar o remate de Ribéry.A equipa de Rui Vitória tentava reagir da forma que podia, mas faltava-lhe o instinto matador do seu adversário. E não foi por falta de tentativas. Aos 21', Salvio aproveitou um mau alívio de Hummels e tentou o remate no imediato em zona frontal, mas a bola saiu bem por cima da baliza. O argentino voltaria a falhar ao minuto 28, naquela que foi a melhor jogada do Benfica até ao momento: bom trabalho do extremo na área, a rematar de primeira para a defesa apertada de Neuer.O Benfica começava a ganhar confiança e a chegar com mais perigo à área contrária, aproveitando o facto de o Bayern ter reduzido o ritmo de jogo. Só que mesmo sem o pé no acelerador, o ‘gigante' alemão continuava atento a qualquer erro das ‘águias'. E aos 39', Rúben Dias perde a bola para Ribéry, com o francês a lançar rapidamente Robben que, à entrada da área e na cara de Vlachodimos, remata de primeira para a defesa do alemão.Aos 44' Franco Cervi cai na área e fica a pedir grande penalidade num lance com Kimmich. O árbitro entende que não há nada e manda seguir.O Benfica entrou na segunda parte com intenção de assumir o jogo (a tal ‘arrogância' de que Rui Vitória falava na véspera), e certamente não esperava que Renato Sanches, a quem o treinador ‘encarnado' desejou que jogasse ao mais alto nível mas que saísse da Luz derrotado, de repente arrancasse quase desde a sua área defensiva, deixando vários adversários para trás até abrir na esquerda para Ribery. O francês colocou de seguida em James Rodríguez, que cruzou para o golo do português. Renato juntou as mãos com que a pedir desculpa ao público da Luz, que retribuiu aplaudindo-o de pé.O Benfica não baixou os braços e tentou tirar proveito da quebra de ritmo dos bávaros. Ao minuto 58, Seferovic rematou cruzado à entrada da área, com a bola a rasar o poste. Aos 60' Rúben Dias subiu mais alto a cruzamento desde a direita, mas Neuer defendeu apertado para canto.Rui Vitória aproveitou para lançar Rafa Silva e Gabriel (estreia do brasileiro na Champions) para os lugares de Salvio e Pizzi. No lado do Bayern, entrou Sèrge Gnabry por troca com Ribéry. O alemão ainda teve oportunidade de introduzir a bola na baliza de Vlachodimos (69'), mas o lance foi invalidado por fora de jogo.O Benfica respondeu através de Gedson Fernandes, a rematar à meia-volta mas por cima da baliza adversária. Logo a seguir, Gabriel arrancou pelo corredor central e rematou de pé esquerdo, com a bola a falhar por pouco o alvo. As substituições deram novo fôlego à formação 'encarnada', mas revelaram-se insuficientes para fazer estragos no Bayern.

<< anterior | próxima >>

SAPO > Notícias > Desporto > Artigo  | topo
lock Login  (utilizador SAPO) Opinião