SAPOmobile

 

SAPO > Notícias > Últimas > Artigo

Artigo

Suncity colocou em risco licença para explorar jogo em Macau - analista
Lusa, há 4 dias

Macau, China, 11 jul 2019 (Lusa) -- A analista da Bloomberg Intelligence especializada na indústria do jogo Margaret Huang disse hoje à Lusa que o Grupo Suncity pode ter colocado em risco a possibilidade de garantir em 2022 uma das licenças para casinos em Macau.

Representantes do Suncity, o maior angariador de apostadores VIP do mundo, foram já ouvidos pela Direção de Inspeção e Coordenação de Jogos de Macau (DICJ) por alegada promoção ilegal do jogo 'online', indicou aquela entidade a um 'site' especializado em informação sobre casinos na Ásia, o GGRAsia.

"Penso que a possível violação do jogo 'online' poderá colocar em risco as suas possibilidades em termos de garantir uma licença em Macau", assinalou Margaret Huang.

"Ainda assim, está a fazer progressos para corrigir a situação ao reunir-se com a DICJ, para esclarecer melhor como e se estavam de facto envolvidos", acrescentou a analista.

Na quarta-feira, o especialista em jogo Changbin Wang disse à Lusa não acreditar que o Grupo Suncity seja afastado da exploração de salas de casinos em Macau, mas admitiu danos na sua reputação.

"Mesmo que se confirme que o Suncity opera [ilegalmente] jogos 'online', não creio que seja banido de Macau, pois o jogo 'online' é operado fora" do território, afirmou o diretor do Centro de Pesquisa e Ensino do Jogo do Instituto Politécnico de Macau (IPM).

Contudo, admitiu o professor, a confirmar-se a informação de que promoveu ilegalmente o jogo 'online' "o dano político pode ser significativo" para o grupo que já expressou a sua vontade de concorrer a uma licença para explorar o jogo em Macau a partir de 2022.

A Direção de Inspeção e Coordenação de Jogos de Macau (DICJ) disse a um 'site' especializado em informação sobre casinos na Ásia, o GGGRAsia, que já ouviu representantes do Grupo Suncity, acusado de atividades de "jogo online" e "apostas por procuração".

À Lusa, o grupo já negou ter cometido qualquer ilegalidade, após um artigo do Economic Information Daily, um jornal afiliado da agência de notícias oficial chinesa Xinhua, ter denunciado o recrutamento de apostadores no interior da China por parte do Suncity para atividades que estão proibidas em Macau.

Em declarações à Lusa, a 21 de maio, o diretor executivo do Suncity anunciou a pretensão do grupo de concorrer às concessões de novas licenças de jogo em Macau, em 2022.

O Sun City é o maior angariador do mundo de jogadores de grandes apostas, com mais de 40% do mercado das apostas VIP em Macau, com 17 salas no território em todas as grandes concessionárias e subconcessionárias na capital mundial do jogo: Melco, MGM, Sociedade de Jogos de Macau (SJM), Galaxy, Sands e Wynn.

JMC (MIM) // FPA

Lusa/Fim

<< anterior | próxima >>

SAPO > Notícias > Últimas > Artigo  | topo
lock Login  (utilizador SAPO) Opinião